As FOSSAS SÉPTICAS são caixas construídas para um tratamento primário dado ao esgoto doméstico. Ela é geralmente utilizada para coletar os dejetos das residências, sendo assim uma alternativa temporária para locais onde ainda não existe uma rede de esgoto do município. Existem diferentes modelos; alguns mais amigáveis ao meio ambiente do que outros. Por isso, é fundamental manter os devidos cuidados com a fossa. Neste artigo, pretendemos compartilhar algumas dicas de como garantir que a fossa séptica não vai gerar danos ao ambiente nem causar transtornos às pessoas que vivem ou trabalham no local.

Qual a importância de ter cuidados com a fossa séptica?

A fossa séptica coleta dejetos gerados em um imóvel. Assim, sem o devido cuidado e dependendo do tipo de fossa instalado, pode não somente contaminar as águas (sejam subterrâneas, sejam superficiais), mas também podem se tornar uma fonte de odor desagradável e proliferação de insetos. Vale ressaltar que a fossa séptica funciona apenas como um paliativo em locais onde não há rede pública de tratamento de esgoto, sendo uma opção melhor do que manter o esgoto a céu aberto. Nesse ínterim, é necessário manter alguns cuidados com a fossa. Veja só.

Quais os cuidados necessários? Dê atenção a 4 pontos de atenção!

Levando em conta os problemas que uma fossa pode gerar às pessoas próximas, destacamos 4 cuidados necessários.

 

1. Mantenha a limpeza e manutenção periódica

Esse é o primeiro e principal cuidado. Com um monitoramento e a limpeza em base regular, o sistema vai funcionar de forma adequada e evitam-se entupimentos e transbordamentos. Normalmente, essa limpeza é feita uma vez entre 1 e 3 anos. No entanto, se o imóvel tiver um uso mais intenso, é recomendável que essa frequência caia para 6 meses.

 

2. Evite jogar lixo no sistema

A fossa séptica funcionará adequadamente e terá uma vida útil prolongada se o descarte de lixo for feito apropriadamente. É essencial evitar despejar resíduos no sistema da fossa. Assim, hábitos como jogar papel higiênico e absorvente pela descarga do vaso sanitário, ou restos de comida na pia da cozinha devem ser evitados. Essa mesma regra vale para cotonetes, fio dental, fios de cabelo ou outros materiais que se acumulariam na fossa e nas tubulações, causando entupimentos. O óleo de cozinha deve ser coletado e armazenado em recipientes fechados, como garrafas pets, e então encaminhados para o descarte adequado — algumas associações coletam para fazer sabão, por exemplo.

 

3. Preserve limpa a área próxima à tampa da fossa

Para prevenir danos à estrutura ou gerar riscos às pessoas, mantenha a área da fossa bem limpa, evitando colocar objetos pesados em cima da tampa. Isso inclui veículos estacionados, pois o peso pode romper a tampa. Além disso, nunca provoque chamas nas redondezas da fossa, pois o local pode emitir gases inflamáveis.

 

4. Tenha cuidado com o excesso de água e a inserção de certos produtos

As águas das chuvas não devem ser direcionadas para a fossa séptica. Se for necessário, outra estrutura deve ser construída para lidar com esse tipo de efluente. Também é importante que alguns produtos químicos que poderiam contaminar o terreno entrem no sistema da fossa. Isso inclui pesticidas, fertilizantes, tintas e óleos de motor. É preciso ter atenção também a alguns produtos de limpeza comuns da cozinha. Eles podem ser nocivos às bactérias que trabalham na fossa para degradar o material orgânico. Por isso, o ideal é que não haja ligação direta entre a pia e a fossa. Como já pontuamos, a fossa é uma estrutura apenas temporária que vai dar uma destinação aos dejetos em locais onde a rede de esgoto para o tratamento convencional não está disponível. Mas tomando alguns cuidados com a fossa séptica, é possível reduzir os riscos de contaminação e transtornos às pessoas próximas. Gostou do artigo? Então, confira algumas soluções para este tipo de problema oferecido pela InstaAgro e Superbac, como o Bio Cubo nas versões de 453 gramas, 906 gramas e 2.660 gramas além do produto Odor Out um excelente eliminador de cheiro para ralos.